Amor Próprio

A garota na teia de aranha 

Ela parou de se olhar no espelho por dias, seu reflexo era inaceitável, tinha vergonha de olhar seus próximos olhos, lábios e expressões, tinha vergonha não por falta de beleza, porque isso não lhe faltava. Tinha vergonha de se olhar por ter deixado alguém a afetar tanto. Por ter deixado que alguém tirasse a luz dos olhos ou o sorriso espontâneo. Teve vergonha dela mesma, por ter deixado tanto tempo, tanta coisa acontecer e não ter impedido nenhum momento.

Ela tomava banhos para lavar o corpo, mas com esperança de que aquela mesma água também lavasse sua alma. Levasse seus pensamentos e acontecimentos embora pelo ralo. Esperava sair de lá como nova. Mas só saía com olhos vermelhos, como sempre.

Ela esperou por mudanças até o momento em que decidiu ser a mudança. E ela mudou. Ela melhorou.

Ela sabe, que viver andando pra frente, mas sendo puxada para trás, não é viver. Ela aprendeu que estar mais pra baixo do que pra cima, não é viver.

Ela aprendeu a precisar dela mesma, e amar ela mesma, pra não precisar amar ninguém um tanto demais. 

Ela cresceu. Amadureceu. Floresceu.

Ariane Moura

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s