Relacionamentos · Vida

Nós não éramos

Trilha Sonora: https://www.youtube.com/watch?v=jxKjOOR9sPU

Esperei pacientemente as ondas turbulentas dentro do teu peito passarem, para assim, finalmente saber o que realmente desejava pra vida.
Ajudei pacientemente, a encaixar as peças do seu quebra-cabeça que estava desmontado, fora de ordem e com muitas peças perdidas.

Eu esperei você passar pela nuvem nebulosa de tristezas, melancolias, duvidas e mudanças constantes de humor.
Tentei entender cada ponto existente e possivelmente criado dentro da sua cabeça. Mantive a paciência e segurei sua mão, em todos os encontros e desencontro que a vida lhe causou, até descobrir, certo dia, que eu tinha conseguido trazer paz pra sua alma, amor pro seu coração e felicidade para sua vida.

Naquele exato dia, em que descobri que eu morava em uma parte dentro do seu peito, foi o dia em que eu soube que estava tudo bem e que qualquer coisa a partir dali, poderia ser superada, melhorada e absorvida.

Eu estava crente que nada no mundo poderia mudar minha concepção de que a vida tinha sido tão difícil até então, porque o melhor estaria por vir e naquele instante, o melhor estava dentro de nós e mais coisas boas aconteceriam. Eu estava tão crente, que esqueci de reparar nos pequenos detalhes que faziam a total diferença.

Que vida fraudulenta, não?! Eu estava tão cega pelo que éramos e muito mais pelo que poderíamos nos tornar nos próximos anos, que esqueci de perceber que você não sorria mais quando eu entrava pela porta. Que a intensidade do amor tinha mudado, junto com as palavras carinhosas que tanto proferíamos um ao outro meses antes.

Eu esqueci de ver que já tinha acabado. Que você tinha abandonado tudo, o amor, o querer ver bem, o respeito, carinho, simplicidade e o futuro.
Tínhamos um fim, dentro de um presente, que fazia nosso futuro jamais existir.

Eu esperei e pedi, incessantemente, para que as coisas fossem melhores e prosperassem como flores em uma primavera. Mas tem coisas, que não são pra ser.

Nós não éramos, apesar dos esforços, não éramos.

 

Ariane Moura

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s