Vida

Me parto então. 

Observando a morte se aproximar
Como um leão que espera para atacar

Tudo instantaneamente se vai
Como se evaporassem e coexistisse com a solidão

Procurando uma solução que fizesse encaixar
Todas as peças quebradas, soltas e substituídas da vida

Me preocupo somente com os que ficarão
E que sentirão a tristeza da minha partida

Sinto grandemente, por não poder ter feito mais
Sido mais

Mas deixo então, finalmente, sem porquês e nem poréns
Sem culpa ou insaciedade

O meu puro e sem delongas,
Como jamais teve:

Eu te amo.

As pessoas passam a ver o amor, único como só ele, depois das partidas.

Me parto então.
Ariane Moura

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s