Autores Convidados

Sobre o que é sua vida? 

Costumo pensar na vida
Como um grande labirinto
Daqueles tão grandes
Que você não sabe se tem fim

Você anda, anda e anda
Se cansa, ajoelha no chão e chora
Depois levanta novamente e segue a caminhada
Porque é o que há

As vezes a caminhada é ardua
A luz do Sol é muito quente ou o vento muito frio
Mas as vezes você ouve um pássaro cantando bem distante
Vê uma flor nascendo por entre as rochas das paredes
Uma borboleta que atravessa seu caminho, tão graciosa

Sinal de que há vida
Sinal de que não deve desistir

Também vejo a vida como um livro
Como aqueles que todo mundo comenta e você precisa ler
Você quer chegar logo ao final, saber o que acontece
Mas não quer que o livro acabe

A vida é aproveitar cada página e cada emoção
Contida na descrição
Com palavras que na verdade são sentimentos

A vida é sorrir até as bochechas ficarem dormentes
E a barriga doer
Chorar amargamente
Esperar por um dia melhor
Não saber se haverá um amanhã

Alguns lêem esse livro como uma obrigação
Passam as páginas e o terminam como dever cumprido
Outros fecham o livro antes mesmo de acabarem as páginas

Mas algumas pessoas lêem cada página como deve ser lida
Se animam com cada personagem novo que aparece
Não têm pressa de terminar

Por último, as vezes vejo a vida como uma escalada
Em alguns momentos você tem garra
Pra lutar e subir aquelas pedras lisas e íngremes
Em outros momentos você não aguenta e para
Em outros momentos você não aguenta e cai

Não importa como você vê a vida
Não importa como você vive a vida
O importante é você saber

Que o labirinto não é sobre sair dele
Mas sobre o percurso percorrido
Lições aprendidas

Que um livro não é sobre terminá-lo logo
Mas aproveitá-lo enquanto o lê

Que uma escalada é difícil
Mas a vista lá de cima é linda

Devo dizer que quando entrei
Em meu labirinto pessoal
Corri o mais rápido que pude
Pois estava sempre atrasado
Embora não fizesse ideia de onde devesse ir

Preciso dizer
Que quando peguei meu livro
Fui logo contando quantas páginas tinha
Como podia ser tão longo?
Como podia ser tão chato?

Convém que eu diga
Que minha escalada não tem sido nada fácil
Em momentos eu paro
As vezes me solto
Tenho muita sorte de nunca ter caído

Mas eu aprendi
A parar no caminho e observar aquela flor
A me deslumbrar com o vôo gracioso da borboleta
A me deleitar com o canto do pássaro
Não importa o quão distante ele esteja

Aprendi a demorar horas em cada página do meu livro novo
Ler e reler
Sorrir e chorar

Aprendi que uma escalada não é feita de uma vez
Que deve ser feita por etapas e com sabedoria
Que algumas pessoas sobem antes de outras
Mas que o único jeito de ter certeza que não vai chegar lá é desistindo

       Jeff Gonçalves 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s