Vida

As esperas 


Eu esperei sentada num banco, que a vida me mostrasse como tudo é belo. Nesse mesmo banco, eu esperei que alguém passasse e decidisse sentar, quem sabe, de repente, por um toque do destino, essa pessoa não quisesse ficar pra sempre e me amar consciente. 

Eu esperei então que o tempo passasse e levasse com ele o amontoado de decepções que eu colecionei e respondesse às milhares de perguntas que eu me fazia.

Esperei.

Esperei tanto até perceber que nada disso iria acontecer, o que aconteceu de fato foi eu ter envelhecido, diminuído e acreditado em tudo, menos em mim.

Então um dia eu levantei desse banco, olhei o céu alaranjar e escurecer, para então perceber que tudo depende de mim. 

Ariane Moura

Um comentário em “As esperas 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s