Amor

Eu sou o amor liberto 

O mundo tá pequeno pra mim.

Eu seguro a xícara entre as mãos, sentido-a esquentá-las aos poucos e penso que o mundo tá pequeno pra nós.

Sentindo que esse corpo não consegue mais levar o amontoado de coisas que eu me tornei. Meu corpo não consegue mais fechar, sem empurrar milhares de sentimentos e desejos pra dentro.

Então um dia eu acordei e tinha partes minhas espalhadas pela casa toda, tomando todas as paredes e todos os móveis. Nesse dia então eu pensei: jamais vou entrar em mim novamente.

E a partir daí, fui livre.

A partir daí eu conseguia transformar todos esses desejos e sentimentos em textos, fotos, tatuagens e coragem.
Então fomos livres.

Então conseguimos viver sem caber dentro de nós mesmos e aceitamos isso, mesmo quando todos achavam estranho, nós achávamos lindo.

Porque conseguimos nos tornar o que as outras pessoas não conseguiram, conseguimos ser sentimentalistas livres pra mostrar que somos o que sentimos.

Cada sentimento que vive em nós, nos faz ser cada vez maior.

Hoje sou gigante, porque deixei cada um viver livre e não preso aqui dentro. Sou livre, porque o amor me mudou.

Se somos o que sentimos, eu sou o amor liberto nesses dias atuais em que todos escondem sentimentos.

Ariane Moura

Um comentário em “Eu sou o amor liberto 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s