Vida

Vamos falar sobre DEPRESSÃO

Confesso que foi difícil começar e desenvolver esse texto. Passei algumas semanas pensando sobre esse assunto tão polemico que assola o século XXI.

O que eu espero que as pessoas tirem desse texto, ao chegar ao seu final, é o conhecimento de fatos, que a maioria esmagadora das pessoas que ouviram o que era a DEPRESSÃO não sabe ou não entende, a respeito de quem é depressivo.

Há três meses, fui diagnosticada com depressão.

Em minha primeira sessão com o psiquiatra ele me perguntou o motivo da minha visita. Assim que as primeiras palavras saíram da minha boca vieram as lágrimas e, com pouco tempo de conversa ele já confirmou o que minha psicóloga dissera; eu estava com depressão.

O psiquiatra então, com um olhar melancólico disse: “Você é minha décima paciente nova hoje. Entre todos os pacientes de hoje, o mais velho tinha 23 anos.”. Essa frase, além de me chocar, apesar de já saber como anda o mundo atualmente, me fez pensar em escrever algo sobre isso e aqui estou eu.

Devo começar dizendo, primeiramente, que a depressão pode ser classificada com diversas nomenclaturas, cada uma com um significado diferente, mas estou aqui pra falar de uma forma geral.

A depressão pra quem a sente é mais do que uma simples tristeza ou melancolia. Por vezes esse sentimento tem uma origem clara, como um término de relacionamento, perda de um parente próximo ou problemas no trabalho; mas a maior parte do tempo, a continuação dessa tristeza não tem explicação.

No meu caso, foram diversos motivos que causaram o meu entristecimento, mas com o passar do tempo, ao invés da tristeza se dissipar, ela foi evoluindo.

Perdi a vontade de ir trabalhar, ir para a faculdade e até mesmo sair com meus amigos. Enquanto ela evoluía, eu me sentia cada vez menor, como se não houvesse mais saída, como se nada do que eu fizesse tivesse algum sentido. Comecei a faltar no trabalho por não conseguir levantar de manhã e me sentia pior ainda por saber que não estava conseguindo cumprir minha função.

Os meus dias na faculdade eram divididos entre querer fugir e voltar pra minha casa, pra minha cama e chorar em lugares que as pessoas não poderiam me ver.

Eu chorava todos os dias antes de sair de casa por não querer sair e quando eu simplesmente parei de fazer tudo o que eu gostava, quando eu passei a dormir 12, 15 horas por dia e chorar quando me perguntavam “tá tudo bem?”, eu ainda ouvia comentários de pessoas próximas que eu estava com preguiça, que isso era falta de trabalho, falta de vergonha na cara, entre várias outras coisas.

A depressão é desabilitadora, mas ela não só te desabilita de fazer coisas, mas também te desabilita de sentir prazer em tudo.

A depressão é silenciosa, até pra quem a sente. Ela vai crescendo, até um momento em que você não sabe mais que dia da semana está. Você não atende mais o celular, não responde mais seus amigos, não vê sua família e tudo o que você passa a sentir é remorso.

Você começa a se perguntar por que não se sente feliz, por que não consegue sair de casa, por que não consegue cumprir os compromissos marcados, por que parece que sua vida estagnou?

As pernas, nossas pernas que parecem ser tão flexíveis e úteis, em estado de depressão, parecem pesar uma tonelada. Levantá-las da cama, caminhar até o banheiro e tomar banho parece algo tão difícil que você simplesmente para de fazer.

Quando as pessoas finalmente percebem que você está doente, elas começam a tentar te ajudar a sair dessa situação. Elas te fazem companhia todo tempo que podem, te levam pra sair mesmo quando você não quer. Te incentivam a fazer coisas novas e principalmente, te dão apoio.

Alguns dias você acorda e acha que nunca teve depressão. Você se sente tão bem e tão feliz que acha que pode finalmente voltar a fazer o que gosta.. mas então vem o dia seguinte, e esse dia seguinte vem pior do que todos os outros. Você não sente fome por dois dias, não quer levantar, não quer viver.

Você passa a se perguntar pra que continuar vivendo se sua existência não acrescenta em nada, se você simplesmente não consegue superar as expectativas que as pessoas colocam em você. Pra que continuar vivendo, se todos os esforços das pessoas que estão próximas e querem ajudar não estão te fazendo melhor.. Você se sente mal por não conseguir se sentir feliz por tudo o que elas fazem pra você.

Esse, na minha opinião, é o pior momento. É o momento em que você começa a pensar em tentar suicídio e essa ideia parece tão certa, que não chega a te assustar, ela te alivia.

Nesse momento, você pode decidir terminar com tudo ou pode perceber que a vida é mais do que esse momento que você está passando.

Nesses três meses tive altos e baixos. Tive muito apoio, assim como também ouvi diversas críticas, como se todas as minhas ações fossem só preguiça.

A depressão, não é preguiça. A depressão é uma doença que afeta o organismo como um todo e deve ser tratada com profissionais como psicólogos e psiquiatra e seu tratamento pode levar de meses a anos, dependendo do seu estado e nomenclatura.

A depressão, por fim, é sentida por aqueles que a carregam consigo como algo incurável, que só está acontecendo por culpa de si mesmo e, às vezes, o suicídio parece ser sua única solução.

Para aqueles que conhecem ou convivem com quem a tem, devem entender que a depressão é uma doença, sua cura é um processo.

A causa da depressão não é culpa de quem a sente e nem de quem convive com o doente, não é culpa de ninguém. E seu tratamento é possível, ela é curável e jamais, o suicídio resolverá alguma coisa ou algum problema, só causará mais problemas.

Se você tem, conhece alguém que tem ou teve, entenda e passe adiante que “você não está sozinho e não precisa resolver tudo sozinho”. O apoio dos que estão próximos é essencial nessa fase.

Estou deixando abaixo, uma tabela com os principais sintomas da depressão, que estão divididos em: sentimentos, sintomas físicos e pensamento; para conhecimento de todos, que pode vir a ajudar futuramente.

tabela-de-sintomas-depressivos2

Tabela retirada do site: https://psiquiatriaonlinebr.wordpress.com/temas-em-saude-mental/depressao/

3 comentários em “Vamos falar sobre DEPRESSÃO

  1. Você é incrível. Logo nos primeiros parágrafos já lembrei daquela música “há tempos” do Legião Urbana, em que eles dizem “há tempos são os jovens que adoecem”… É preciso pensar sobre isso e falar sobre isso… Obrigado pelo texto. Te amo

    Curtido por 1 pessoa

  2. Ariane, acho muito produtivo você deixar seu relato. Com certeza muitos irão se identificar e procurar ajuda. Assim a depressão vai deixando de ser esse tabu que aprisiona. Inteiressante a observação do médico, sobre a quantidade de jovens depressivos. Eu não sou tão jovem assim, haha, tenho 40 e estou nessa batalha também. Abraço.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Muito obrigada pelas palavras Cris.
      Batalhamos com essa doença todo os dias, às vezes ouvir o relato de alguém que também se encontra na mesma situação e quer sair dela, nos da um pouco de força pra continuar lutando.
      Espero que tenha te causado isso.. força. Não é uma batalha fácil, assim como também não é para sempre.
      Espero, de verdade, que você esteja melhorando e me deixo a sua disposição para o que precisar! Meu e-mail de encontra na página “contato”.
      Lembre-se: você não está sozinha nessa batalha ❤️

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s